D. Afonso Henriques, o Dux que se fez Rei
D. Afonso Henriques

cavaleiroPai, foste cavaleiro.
Hoje a vigília é nossa.
Dá-nos o exemplo inteiro
E a tua inteira força!

Dá, contra a hora em que, errada,
Novos infiéis vençam,
A bênção como espada,
A espada como bênção!

Fernando Pessoa, Mensagem.





Introdução

O Arquivo propõem-se dar a conhecer não só a faceta de intrépido combatente, que consolidou e alargou o território que havia herdado, destacando-se, entre outras, as conquistas de Santarém, Lisboa, Alcácer do Sal e Évora, mas também a de um político astuto, que percebeu que a libertação de Portugal da dependência política de Leão apenas podia ser atingida num plano mais vasto, o das relações com a Santa Sé. Nas suas qualidades e nos seus defeitos, nas suas vitórias e nas suas derrotas, D. Afonso Henriques permanecerá para sempre na nossa memória como o Fundador de Portugal.



O nascimento e a tomada do Poder

batismoNo início do século XII, segundo a tradição, nasceu em Guimarães o Rei Fundador, D. Afonso Henriques. Reza a lenda que foi logo à nascença uma criança miraculosa, predestinada por Deus para altos feitos patrióticos. Crê-se que foi criado pelo nobre senhor de Riba-Douro, Egas Moniz.
À morte do conde D. Henrique, em Maio de 1112, D. Teresa assumiu o governo do condado Portucalense, tendo a seu lado fidalgos castelhanos, nomeadamente, Fernão Peres de Trava, com quem, pensa-se, terá mantido uma relação marital. A crescente influência dos condes galegos, no governo do condado Portucalense, era temida pelos barões Portucalenses, que viam nesta união uma clara tentativa de unificação da Galiza com Portugal.
O clima de intensas lutas, intrigas e contradições levou a que, em 24 de Junho de 1128, in campo Sancte Mametis, as hostes de D. Afonso Henriques e dos seus barões se defrontassem com as dos fidalgos galegos. Os portugueses venceram e iniciaram a luta pelo reconhecimento do reino independente de Portugal.



Foral de Guimarães

foralTítulo: [Foral de Guimarães]
Data(s): Foral dos Condes D. Henrique e D. Teresa: [1095-1096]. Confirmação de D. Afonso Henriques: 27 de abril, 1128. Confirmação de D. Afonso II [Agosto-Outubro, 1217]
Idioma: Latim / Cota: AMAP-8-4-10

Nota: O documento original encontra-se no Arquivo Nacional Torre do Tombo.



Documento Fundador de Portugal

Confirmação do Couto de Braga por D. Afonso Henriques ao Arcebispo de Braga D. Paio Mendes.

GAVBRG-5Título: [Documento da Fundação de Portugal]
Data: 27 de maio, 1128 / Dimensão e suporte: 1 doc. (456x346 mm); perg.
Idioma: Latim / Cota: Arcaz-Gaveta de Braga-Doc.5
Cod. Referência: PT/ADB/DIO/GAVARCAZ/GAVBRG-5
Universidade do Minho - Arquivo Distrital de Braga. © UM-ADB.

Transcrição do documento



Doação da igreja de S. Bartolomeu do Campelo

Doação régia a Egas Ramires da Igreja de S. Bartolomeu de Campelo, concelho de Baião, com o sinal de “Portugal”.

PT-TT-MSAA-1-2Título: [Doação da Igreja de São Bartolomeu de Campelo]
Data: 28 de julho, 1129
Idioma: Latim / Cod. Referência: PT/TT/MSAA/1/2
Imagem cedida pelo ANTT

digitarq.arquivos.pt/details?id=1457660